skip to Main Content
5 Dicas De Planejamento Financeiro Para Médicos

5 dicas de planejamento financeiro para médicos

Você, médico, que enfrenta dificuldade para gerir sua vida financeira, saiba que chegou ao artigo certo, hoje apontaremos 5 dicas de planejamento financeiro para médicos! Certamente, a rotina entre clínicas, hospitais e postos de saúde, é bastante exaustiva, salvar vidas e fazer a manutenção delas, não são momentos feitos apenas de glória.

Claro que você recebe uma remuneração por essa agitada rotina, afinal esse é o seu trabalho. Mas sabemos que em função das intensas atividades, nem todos médicos conseguem exercer um planejamento financeiro de forma fácil.

E, é por isso, que assim como você dedica seu tempo para cuidar da saúde dos seus pacientes, também precisa investir em sua saúde financeira.

Confira a seguir, o que pode ser o ponto de virada para a sua gestão, daremos 5 DICAS de planejamento financeiro para médicos:

1. Separe suas finanças pessoais das profissionais

Parece bem simples, mas só quem realiza inúmeras funções, sabe que o “depois eu coloco de volta”, é bem difícil de cumprir. E que com o passar do tempo, esse hábito, acaba fazendo parte da rotina de forma errônea, sendo extremamente maléfico para a sua saúde financeira!
E, por isso, essa é a primeira dica que trouxemos, o seu capital pessoal não só deve, como precisa estar separado de seu capital empresarial.

O capital de giro de um consultório ou clínica, não pode envolver retiradas do patrimônio pessoal, e isso pode estar ocorrendo sem você nem desconfiar. Ou seja, a manutenção do seu negócio pode estar sendo quase que inteiramente financiada com um dinheiro vindo diretamente do seu bolso. Logo, além de não ser interessante para as suas finanças, ainda pode ser configurado pelo fisco como sonegação fiscal, podendo gerar problemas muito maiores.

2. Entenda e separe os custos fixos dos custos variáveis

Saber a diferença entre custos fixos e variáveis é muito importante para o planejamento financeiro, desta forma você saberá para onde seu dinheiro está indo.

Custos fixos são aqueles que se mantém basicamente os mesmos mensalmente, independente do volume de atendimentos, sejam eles estabelecidos em função de decisões ou custos essenciais. Como contas de luz, água, internet, telefone, aluguel, salário de funcionários, entre outros. Isso significa que eles não oscilam, mesmo que você não tenha tido receita.

Já os os custos variáveis são compostos por gastos que aumentam ou diminuem de forma proporcional ao nível de atividade. Tais como despesas com materiais, manutenção de equipamentos, materiais de impressão.

Sobretudo, saber diferenciá-los e também separá-los, o ajudará a mensurar quais são os seus reais custos necessários e quais podem ser reconsiderados.

3. Faça uma reserva financeira para a sua segurança

Já aconteceu de você ter algum imprevisto e não ter de onde desembolsar? Aquela situação onde a conta veio muito mais alta do que você pensava. Você já perdeu o sono tentando encontrar uma forma de pagar as contas?

Então, a reserva financeira é uma possibilidade real de lhe trazer segurança. Claro que isso não pode ser de forma instantânea, porque retirar um valor alto de uma só vez é complicado, porém, o ideal é destinar uma quantia pré-fixada todos os meses. Dessa maneira, você poderá passar por um imprevisto, ou crise, de forma muito mais fácil e saudável, gerando bem menos estresse.

4. Tenha um fluxo de caixa e faça o acompanhamento dele

Tanto para suas finanças pessoais, como profissionais, ter um fluxo de caixa e fazer o acompanhamento constante dele é um ponto bastante importante. De tal maneira que, ao implantar um fluxo de caixa a relação de entrada e saída do seu dinheiro fica evidentemente mais clara.
Dessa forma, sendo ela uma ferramenta fundamental para o processo de controle financeiro, dando a possibilidade de realizar ações mais eficientes com o seu capital.

5. Defina metas e objetivos

Então, a nossa última e não menos importante dica é essa: definir metas e objetivos. Ou seja, todas as outras só serão atingidas se você antecipadamente elaborar metas e objetivos, só assim poderá desfrutar todos os benefícios do planejamento financeiro.

Você deve estar se perguntando como um médico pode estabelecer uma meta, por achar que não pode se vender. Porém, isso é um equívoco, já que você não só pode, como deve se vender, divulgando seus serviços e buscando aumentar seus resultados.

A sua profissão como qualquer outra, visa gerar renda e benefícios, então, mantenha o foco e trate-a como um negócio de fato.

Por fim, sabemos que este não é um caminho retilíneo a ser seguido, principalmente pela rotina atribulada e exaustiva da profissão. E, por isso, é importante que você considere o auxílio de um profissional especializado.

Conte com a nossa assessoria financeira, para coordenar e resgatar a saúde das suas finanças, somos especialistas no assunto!

 

Confira também o vídeo 5 dicas de planejamento financeiro para médicos do nosso canal no YouTube.

Conteúdo Extra

Quer saber como você pode pagar menos impostos? Então confira o artigo: Médicos: Como pagar menos impostos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendado só para você
Uma pergunta recorrente que escutamos no nosso dia a dia…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top