skip to Main Content
Faturamento Não é Lucro

Faturamento não é lucro

Lucro e faturamento geralmente são confundidos no meio empresarial, porém são coisas distintas. Dentre todos os conhecimentos necessários para se instituir e gerir uma empresa com sucesso, um ponto muito importante é entender de maneira clara sobre faturamento e lucro. Entender que faturamento não é lucro e que lucro não é pró-labore.

Uma boa parte dos empresários não tem domínio sobre esses conceitos de lucro e faturamento, e esta falta de entendimento acaba por prejudicar sua empresa. Não é incomum vermos uma confusão entre faturamento e lucro, e também o pró-labore sendo retirado de maneira ou local incorreto.
Então, vamos entender um pouquinho sobre cada um destes conceitos? Assim, a partir de hoje você conseguirá gerir de maneira assertiva fazendo a diferença para a saúde financeira da sua empresa.

O que é faturamento?

Faturamento é o valor total de vendas de uma empresa dentro de um determinado período. Ou seja, todo dinheiro proveniente das vendas de um negócio é enxergado como seu faturamento. Aqui no Brasil é sinônimo de “emissão de nota fiscal”, portanto, quer dizer que trata-se do total de notas emitidas em um período.

E quando falamos de vendas, não significa somente produtos físicos, também entra a prestação de serviços, então todo valor monetário que entrar na empresa, será faturamento.

O faturamento é analisado por período, que pode ser determinado por mês, trimestre, semestre, anual. O faturamento é a métrica a ser olhada quando o objetivo é mensurar as vendas realizadas em um determinado período.
Porém, faturar não significa receber, com a possibilidade de vendas a prazo muitas empresas se “iludem”. Olham apenas o volume de vendas, ou seja, as notas emitidas e esquecem de ver quanto disso virou de fato dinheiro no caixa.

O que é lucro?

O lucro, por sua vez, é o faturamento menos os custos e despesas do negócio. Para se chegar ao lucro é preciso ter o levantamento de todos os gastos da organização.
Parece besteira dizer isso, por ser algo básico, porém na prática muitos empreendedores não têm essa estrutura de maneira tão alinhada.

Então todos os valores gastos com produtos, salários, impostos, marketing e qualquer outro gasto precisam ser levantados.

O lucro será o resultado final dessa operação, de modo simples, podemos resumir com o seguinte cálculo:

Faturamento – Despesas e Custos = Lucro

Ou seja, qual é a rentabilidade daquela empresa pela perspectiva contábil.
Vamos atentar aqui para um detalhe, de que se após feito os levantamentos de faturamento e de custos, seu cálculo de faturamento-despesas= lucro, precisa terminar com um montante positivo. Do contrário você está tendo prejuízo e neste caso está com um problema, que precisa ser identificado com urgência, para tentar reverter.

O que é pró-labore?

O pró-labore é o “salário” do sócio, ou seja, a remuneração que recebe pela prestação de serviços a sua própria empresa. O termo salário é utilizado aqui somente para você contextualizar que esta é uma obrigação mensal da empresa para com o sócio que efetivamente trabalha ou administra.

Em alguns pontos o pró-labore é similar ao salário recebido pela CLT. Por exemplo, o valor determinado de pró-labore é o que irá contar como contribuição ao INSS para fins de aposentadoria ou qualquer outro benefício da previdência. Porém o em muitos outros, é diferente, o pró-labore não gera benefício do FGTS, 13º salário, férias, entre outros direitos.

O valor do pró-labore deve ser calculado juntamente com as despesas da empresa que serão abatidas do faturamento. Lembra aquele cálculo que fizemos antes? Faturamento – despesas e custos = lucro. Então, é destas despesas que faz parte o pró-labore.

Infelizmente, muitos empresários se perdem aqui por alguns fatores como não ter um plano de negócios, não ter uma gestão financeira ou fazer de maneira errônea.

Também pelo simples fato da falta de conhecimento, além de um fator muito grave e comum que é a mistura de finanças empresariais e pessoais. Este poderíamos dizer que é fatal para a vida de uma empresa. Nestes casos, acabam por retirar seus “salários” do lucro que acham que tem não tendo um valor estipulado de retirada.

O pior equívoco é entender que o lucro é sobra do caixa e que isso serve para os manter os sócios. Eis aqui um erro mais mortal e que levará sua empresa à falência!

Como aumentar o lucro da sua empresa?

Você deve imediatamente ter pensado que vendendo mais aumentará o lucro. Porém lembre-se que quando você vende mais tem que comprar mais. Se você precisa aumentar a produção de determinado produto para comercializá-lo, terá que gastar mais com a compra de insumos e despesas com funcionários. Portanto, um faturamento maior não implica necessariamente em lucros maiores. Para aumentar o lucro líquido do seu negócio, é importante tomar uma série de medidas, que incluem realizar o planejamento estratégico da empresa, fazer a programação da produção, gerir o estoque, além é claro de organizar as despesas que é fundamental, você já avaliou a necessidade de cada gasto que tem na sua empresa?

O lucro pode ser aumentado paralelamente ao crescimento do faturamento, desde que haja inteligência administrativa na expansão dos negócios. Por outro lado, é possível aumentar o lucro mantendo o faturamento atual, desde que os recursos sejam empregados de forma eficiente na produção e comercialização dos bens e serviços da empresa.

Como definir o Pró-Labore e realizar a distribuição de lucros?

O pró-labore como já falamos é a remuneração do seu trabalho, então a sugestão é primeiro você avaliar quanto pagaria a um profissional para desenvolver o seu trabalho. Além disso, pela perspectiva pessoal você precisa avaliar que esse valor seja adequado para cobrir sua realidade de gastos evitando assim que tire valores indevidos da empresa. Mas cuidado para não exagerar porque um pró-labore mal projetado pode sangrar uma empresa e prejudicar seu desempenho.

Agora quando a distribuição de lucros, esta parte é muito importante, pois é aqui que você verá quanto realmente está ganhando por mês.

A conta é simples:

Faturamento menos impostos, menos taxas, menos custos, menos despesas = Lucro.

Encontrado esse resultado você pode estabelecer um percentual dele para ser repassado aos sócios, claro que desde que tenha caixa para isso. Não se esqueça de deixar uma parte do lucro para reinvestir na empresa possibilitando ela crescer.

Mas cuidado, pois a empresa só pode transferir o lucro para os sócios se cumprir duas exigências principais:
1 – Os impostos tenham sido pagos ou, no mínimo estejam parcelados;
2 – O registro contábil esteja em dia. E nesse momento cabe ressaltar a importância de contar com um escritório de contabilidade especializado.

Se você não está pagando os impostos e transfere o lucro para sua conta PF, pode ter um problemão depois na Declaração do Imposto de Renda (DIRPF). Da mesma forma, se o escritório de contabilidade não registrar toda a movimentação mensal da sua empresa, você também terá problemas.

Fique atento nestes detalhes, se informe, procure aprender, e busque sempre um escritório capacitado para te auxiliar.

Nós do Polo Contábil, trabalhamos para contribuir com o sucesso da sua empresa, sendo desta forma transparentes e orientando nossos clientes da melhor maneira visando alavancar sua empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Recomendado só para você
Quando um futuro empresário faz essa pergunta sobre a necessidade…
Cresta Posts Box by CP
Back To Top